Soluções sustentáveis: você sabe como as grandes empresas atuam em prol do meio ambiente?


 Em parceria com grandes marcas, como Braskem, Heineken, Nubank e Ambev, startup baiana SOLOS articula ações e programas de conscientização ambiental em diversas regiões do país.


 


Os impactos do descarte irregular de resíduos sólidos atuam como grandes vilões da poluição atmosférica, hídrica, do solo e visual em todo o planeta. Dependendo do tipo de resíduo, doenças e infestações de animais nocivos podem trazer diferentes danos à vida da população em qualquer lugar do mundo. No Brasil, o processo de coleta seletiva e ações voltadas às cooperativas que possuem infraestrutura para separar e classificar os resíduos, não são suficientes para garantir o descarte das embalagens pós-consumos de forma regular e sustentável.


 


Atentas às urgências ambientais, Saville Alves e Gabriela Tiemy fundaram em 2018 a startup SOLOS, com o intuito de mobilizar pessoas para transformarem a cadeia dos resíduos em todo Brasil. Atuando em parceria com marcas nacionais e internacionais, como Braskem, Heineken, Nubank e Ambev, as ações sustentáveis articuladas já coletaram mais 600 toneladas de resíduos sólidos e renda de R$1,5 milhão para catadores, cooperativas e agentes de coleta seletiva, em menos de 4 anos.


 


Com objetivo principal de facilitar o descarte sustentável das embalagens pós-consumo e melhorar a qualidade do trabalho desenvolvido pelas cooperativas de recicláveis, a SOLOS busca incorporar nas ações os princípios da economia criativa junto à capacidade que as grandes marcas têm de estabelecer relações verdadeiras e duradouras com seus públicos, com foco em despertar sensações e influenciar mudanças de comportamento.


 


A co-fundadora da startup, Saville Alves, explica as estratégias traçadas para se associar a grandes marcas, com impacto nacional e internacional. “Nosso modelo de negócios desde o início era voltado para atender a demanda de logística reversa de grandes companhias que têm como desafio conseguir rastrear e garantir o retorno das embalagens que colocam no mercado. Promover percepção é a principal estratégia para criar um ambiente que gere a transformação socioambiental e quebre paradigmas estruturantes”, explica.


 


Diante da grande capacidade de mobilizar e de atingir grandes números de maneira ágil, a parceria com as marcas já consolidadas e que possuem reconhecimento nacional e internacional, se torna um ativo importante para a co-criação de soluções. Neste processo, Saville destaca que diferentemente de outros desafios como a seca e a fome, o lixo está presente na vida de todo mundo e todos os dias, sem exceção, e que atualmente as empresas que estão com a SOLOS já possuem compromissos voltados para a redução da poluição de suas embalagens ou de sua cadeia de produção, por exemplo.


 


Atenta aos constantes processos em ESG, a startup integra um ecossistema que reforça a importância de ações que mesclem inovação, sustentabilidade e compromisso social. Nessa rede, estão agregadas comunidades como Quintessa e BNDES Garagem, que reforçam a credibilidade e importância do trabalho desenvolvido. Com diretrizes e objetivos claros de impacto, as ações desenvolvidas pela SOLOS são organizadas para gerar uma cadeia circular e inclusiva. No ciclo atual, planejado para o ano de 2022, os principais compromissos são ‘Tornar a sustentabilidade justa para todo’ e ‘Espalhar e nutrir pensamentos sustentáveis’.


 


“Existem várias formas divertidas e sensoriais de abordar a temática e mais do que isso: é preciso constância das ativações e conteúdos. O que tem sido desafiador é convencer sobre os métodos. Alguns parceiros ainda estão mais conservadores sobre como pivotar soluções para a Logística Reversa e como estabelecer diálogo com os públicos sobre o tema de reciclagem e economia circular. Isso de uma forma mais leve, que não seja nas bases formais”, destaca a co-fundadora da SOLOS.


 


Saville explica que entre as metas estabelecidas para cumprimento dos compromissos traçados para 2022 estão: a geração de mais de R$300 mil em renda para cooperativas parceiras, a coleta de 250 toneladas de material e o alcance de +1.700.000 pessoas. A definição das diretrizes e objetivos são elaboradas para que a SOLOS entenda e encontre os potenciais parceiros comerciais que podem fazer esses números se tornarem transformações reais, seja através de clientes novos ou fidelizados.


 


No caso de empresas de pequeno e médio porte, a obrigatoriedade é proporcional às suas atividades, mas ainda sim existente. Entre as principais parceiras da SOLOS estão as cooperativas: Cooperaguary, CAEC, Cooperbari, Camapet, Coopama, Chocolatão, Coopercarga. Neste ano, a startup expande as atividades de delivery de reciclagem para Fortaleza, com intuito de ampliar a coleta seletiva através do Re-ciclo, uma iniciativa da prefeitura da capital cearense.


 


Todo o trabalho desenvolvido pela SOLOS, gerando impacto positivo para o Meio Ambiente e atores sociais engajados nos processos de coleta e reciclagem de resíduos, rendeu a Saville Alves um lugar na lista das 20 mulheres inovadoras nas Agtechs da Forbes Brasil, em seu editorial ForbesAgro. A lista destaca as mulheres que usam a inovação e tecnologia para transformar o mundo em um lugar melhor, desafiando o futuro com ideias, projetos e empresas para um agro mais sustentável.


 


“Eu fico muito orgulhosa de todo trabalho realizado e por ter empresas como Heineken, Braskem e Nubank como nossos clientes, sabendo que a relação é de troca e nós da SOLOS estamos colaborando para que elas consigam realizar seus compromissos e superar suas diretrizes. Além disso, estamos gerando um movimento de grande impacto para a sociedade, em que a capacidade de alcance dessas marcas faz barulhos e geram transformações verdadeiras. Tanto na perspectiva do imaginário, quanto da realidade concreta e material”, finaliza Saville.


 


Big numbers SOLOS


 


Entre os projetos desenvolvidos pela SOLOS, o grande destaque tem sido o Braskem recicla, ação que completa 2 anos e reforça a importância do compromisso social de cada indivíduo com a construção de um mundo mais sustentável. Os números referentes à coleta seletiva e reciclagem mostram quanto o descarte adequado pós–consumo é fundamental para a proteção do meio ambiente e impulsionamento dos trabalhos realizados por cooperativas de reciclagem.


 


Na edição realizada no Rio de Janeiro, em um período de dez dias, o Braskem recicla coletou 22,7 toneladas, gerando R$ 35 mil em renda para a Cooperativa Popular Amigos do Meio Ambiente (Coopama). Na Bahia, foram coletadas 30 toneladas de resíduos, constituindo 60 mil reais de renda para 30 famílias diretamente ligadas à Cooperguary. Já no Rio Grande do Sul, foram 5,6 toneladas de materiais coletados e em São Paulo foram 15,5 toneladas de resíduos transformadas em renda para as Cooperativas Cidade Limpa e Coopercata.


 


Aliando tecnologia, compromisso social e práticas sustentáveis, a SOLOS em parceria com o Grupo MAP mobiliza moradores e estabelecimentos comerciais em Salvador através do delivery de reciclagem RODA. O projeto, que conta com a parceria da Nubank e do Grupo MAP, é realizado em conjunto com a Cooperguary, cooperativa que atua há 10 anos na capital baiana tratando materiais recicláveis e tornando a cidade mais limpa. Em sua 2ª edição, o projeto já coletou mais de 25 toneladas dos mais diversos tipos de materiais, tornando acessível e democrático o descarte de resíduos recicláveis.


 


Junto ao compromisso com o meio ambiente, a SOLOS propõe e realiza ações voltadas para impulsionar emprego e renda para famílias em situação de vulnerabilidade. Em 4 anos de atuação a empresa gerou mais de R$ 1 milhão em renda para catadores e famílias diretamente ligadas às cooperativas parceiras. Idealizada na Bahia, expandindo suas ações para outros estados e implementando ações em São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, essas em parceria com grandes marcas, entre elas a Braskem, Ambev, Heineken, Nubank, Basf, Sebrae, entre outras.


 


Os números referentes à geração de emprego e renda também são surpreendentes. Em quatro anos de atividades, a SOLOS fomentou mais de 200 novos empregos, gerando renda de R$ 1,5 milhão para as cooperativas parceiras. “Agora, com o controle mais assertivo da pandemia e retomada regular das atividades, esperamos expandir a nossa atuação para outras cidades, impactando a vida de mais pessoas e parceiros na realização de iniciativas transformadoras, unindo a ação prática com mais inclusão social, geração de renda, reflexão e conscientização da população”, destaca Gabriela Tiemy, co-fundadora da startup.


 


SOLOS e TETO


 


Comprometida em sempre gerar impacto socioeconômico, recentemente a SOLOS atuou em parceria com a ONG TETO Brasil para viabilizar a construção de moradias de emergência em uma comunidade Quilombola localizada em Lauro de Freitas, na Bahia. Para isso, a startup financiou o uso de telhas ecológicas, confeccionadas a partir de 70 mil caixinhas de suco usadas nas construções, além de atuar em um processo formativo e de conscientização da população sobre a importância do descarte correto e as possibilidades de reaproveitamento de resíduos.

Post a Comment

Sejam bem-vindos à Cellebriway.
A sua Revista Eletrônica

Postagem Anterior Próxima Postagem