Esgotamento emocional

            



SAÚDE TOTAL

CONVERSAS PSICANALÍTICAS COM O DR. EDUARDO BAUNILHA

Esgotamento emocional

Nosso cérebro é uma máquina e como tal precisa de manutenção, cuidados, atenção. De outra forma, chegaremos ao esgotamento emocional que, nos tempos modernos, é um mal que está encontrando guarida em quase todas as pessoas.

Segundo estudos científicos, 1 a cada 3 pessoas sofrerá de esgotamento emocional em algum momento da vida. E por que é interessante saber disso? É pertinente para podermos cuidar de nós mesmos. E para tanto, precisamos entender como funciona as engrenagens do nosso cérebro.

A vida é feita de desafios, portanto, de estresse. E não há mal nenhum nisso, a não ser que não equilibremos toda a correria oriunda das diversas atividades que realizamos com momentos de descanso.

Se não sentimos vontade de parar, nos colocando em constante atividade, é necessário que nos perguntemos o porquê desta atitude exagerada, ou porque não, compulsiva.

O que acontece é que se não buscarmos um possível equilíbrio perderemos o controle da situação e, portanto, sobrecarregaremos nosso cérebro e sentiremos o esgotamento emocional, também conhecido como síndrome de Burnout.

E é tão séria esta situação que podemos ter alterações nos padrões fisiológicos e emocionais. Podemos passar a dormir demais ou a dormir de menos. A se alimentar mais ou comer menos que o necessário. Também podemos ficar mais irritadiços, nervosos e com uma fadiga constante, que nos atrapalhará a sermos produtivos.

Tudo aquilo que nos trazia prazer: passear com a família, amigos, conversar com vizinhos, assistir um filme, ler um bom livro, criar conteúdos para nossas mídias, vão perdendo o sabor, a alegria, o prazer, e, de alguma forma, para tentar compensar isso tudo, passamos a comer demais, viciamos em bebidas alcoólicas ou/e drogas ilícitas, tudo isso, sem falar nas mudanças emocionais como tornarmos muito ansiosos.

Algo também que é proveniente do esgotamento emocional é a despersonalização. Parece que não somos nós mesmos. Não conseguimos mais lembrar das situações. Esquecemos palavras, nomes e pessoas no meio de uma conversa, não conseguimos ordenar os pensamentos, perdemos a criatividade. Todas estas situações podem nos levar ao isolamento, o que acarreta tristeza.

Além disso tudo, o esgotamento emocional pode causar depressão. Portanto, é necessário, se sentirmos que estamos neste estágio, buscar ajuda profissional é uma excelente opção. Também é interessante consultarmos um analista e se for o caso um psiquiatra.

Um fortíssimo abraço para você. Até a próxima!



Post a Comment

Sejam bem-vindos à Cellebriway.
A sua Revista Eletrônica

Postagem Anterior Próxima Postagem