Um olhar para a primeira infância

                 



SAÚDE TOTAL

Conversas psicanalíticas com o Dr. Eduardo Baunilha

Um olhar para a primeira infância

Os primeiros anos de vida de um ser são cruciais para que sua vida adulta seja saudável.

Sabemos que são nos primeiros anos que o desenvolvimento de padrões de visão do que é o mundo são construídos no infante. Então se a criança tem adultos responsivos, amorosos, cordiais e bondosos, sua visão de mundo será de que todos os adultos têm estas mesmas características.

Sendo assim, se tornarão mais reguladas, preparadas para os desafios e frustrações e, menos propensas a muitas doenças psicológicas.

Mas se a criança vive em um ambiente hostil, com adultos negligentes e pouco atenciosos, não muito amorosos e cheio de atividades que os impedem de estar de verdade com esta criança, sua visão de mundo será bem distorcida. A criança entenderá que o adulto é frio, distante e, crescerá com uma sensação de abandono e rejeição enormes, o que trará para ela prejuízos relacionais e cognitivos sem precedentes.

Se estivermos vivenciando momentos preconcepção fica a dica: as redes neurais responsáveis pelas relações interpessoais e pela regulação está intimamente ligadas a momentos.

Então fica claro que o bebê e a criança na primeira infância necessita ser inserida em situações construtivas, leves, com interações saudáveis. Carecem de momentos em que as pessoas a seu redor entendam que ela precisa ser ouvida (um balbucio, pode ser), acalentadas, consideradas, pois a primeira grande necessidade de todos nós, especialmente de seres no início da vida, é de interação de qualidade.

Já vivenciou um momento em que você estava com um amigo, parente ou mesmo com filho ou cônjuge e estes estavam a todo momento atendendo as demandas do aparelho celular? Como você se sentiu?

Obviamente que a resposta dificilmente será positiva. Agora imagine um ser que está construindo a ideia de como é o mundo e cujo cérebro demorará pelo menos mais 24 anos para estar totalmente desenvolvido? Qual será o peso desta ação para este infante? Já parou para pensar?

Depois de ler tudo isso você pode estar pensando: Nossa, eu era muito jovem quando tive meu filho(a) e não fui muito bom na educação deste, deixando muito a desejar.

A boa notícia é que nosso cérebro é mutável. Pode demorar um pouco para que as situações sejam elaboradas, mas com novas experiências, certamente encontraremos um caminho mais seguro, regulador e possível para trilhar, sem muitos prejuízos.

Da mesma forma é se aconteceu conosco. Se nossa primeira infância foi muito difícil e hoje entendemos que temos muitos problemas oriundos desta fase, é importante que busquemos ajuda profissional. Um bom psicanalista, estudado e responsável, pode fazer o percurso da rememoração e da elaboração de maneira a te fazer entender que a vida pode ser diferente.

Um abraço fortíssimo para você!


Post a Comment

Sejam bem-vindos à Cellebriway.
A sua Revista Eletrônica

Postagem Anterior Próxima Postagem