Agenda Tarsila Indica a exposição 100 anos Modernos no MIS SP

 Agenda Tarsila Indica a exposição 100 anos Modernos no MIS SP

Podcast do Jornal da USP e apresentação de dança no Theatro São Pedro também estão fazem parte das dicas da semana




Em celebração aos cem anos da Semana de Arte Moderna de 1922, a Agenda Tarsila, lançada em setembro de 2021, já conta com mais de 600 eventos que celebram um dos momentos mais importantes da arte no Brasil. A plataforma conta com entrevistas, vídeos exclusivos, linha do tempo especial sobre os modernistas e eventos culturais para quem deseja se aprofundar ainda mais no tema. O podcast “Arte no Rádio”, da USP traz peças teatrais de Mário e Oswald de Andrade, enquanto o MIS abre a exposição que reconta os cem anos do modernismo e o Theatro São Pedro apresenta “Desassossegos” de Henrique Rodovalho.

Toda última quinta-feira do mês, o Jornal da USP apresenta o podcast Arte do Rádio e, dessa vez, trará quatro episódios com quatro peças de teatro modernistas para a linguagem audiovisual: Café e As Enfibraturas do Ipiranga, de Mário de Andrade e Santeiro do Monte e A Morta, de Oswald de Andrade. Os podcasts são produzidos pelo professor da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da Universidade de São Paulo, Luiz Fernando Ramos e pela pesquisadora e produtora musical Cynthia Gusmão.

A partir de quinta-feira, dia 2, o Museu da Imagem e do Som de São Paulo abre a exposição 100 anos Modernos, uma celebração da arte moderna e contemporânea que foi impulsionada pela Semana de 1922. A exposição propõe que o momento abriu as portas do país para a modernidade. Com curadoria de Marcello Dantas e pelo compositor e crítico literário José Miguel Wisnik, a mostra apresenta obras nas áreas de cinema, música, artes visuais e literatura.

A ideia é convidar o público a explorar a vontade de ver e se apropriar de diferentes aspectos da cultura brasileira. Cada pessoa que entrar na mostra construirá sua própria saída, passando por diferentes salas, cada uma levando a novas galerias, até a chegada ao presente. Assim, o prédio do MIS se tornará um labirinto de portas de diferentes tipos que vai oferecer muita música e projeções audiovisuais.

Entre 2 e 5 de junho, a São Paulo Companhia de Dança apresentará o espetáculo “Desassossegos” no Teatro São Pedro. A apresentação contará com um elenco completamente feminino. Formado por sete bailarinas que percorrem a cena movidas por um sopro interno, provocando uma ação e reação que desencadeia os movimentos. A obra celebra o centenário da Semana de Arte Moderna de 1922 a partir da fusão de linguagens artísticas que reinterpretam os ares de inovação do modernismo. A música é do compositor americano David Lang, interpretada ao vivo pelo violonista Renan Gonçalves. 

Os figurinos de Fábio Namatame foram inspirados pelos grafismos e texturas de desenhos de Flávio de Carvalho (1899-1973) para A Cangaceira, espetáculo do Balé do IV Centenário, primeira grande iniciativa da dança no Brasil a ecoar os ideais modernistas da Semana de Arte Moderna de 22.

A noite, que conta também com participação da Orquestra do Theatro São Pedro e tem direção musical de Ricardo Ballestero, segue com Infinitos Traçados (2021), obra com 8 bailarinos em cena desenvolvida a partir de olhares múltiplos, com coreografias de Esdras Hernández Villar, Jonathan dos Santos e Monica Proença, iluminação de Caetano Vilela, concepção e direção cênica de William Pereira e direção de dança de Inês Bogéa.


Sobre a Agenda Tarsila


A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo lançou, em setembro do ano passado, a Agenda Tarsila, um braço fundamental do projeto “Modernismo Hoje”, concebido pela pasta para celebrar o legado da Semana de Arte Moderna de 1922. A iniciativa é um guia especial e único sobre a temática. Além de acompanhar a programação, o público poderá conferir a história do movimento modernista, curiosidades, galerias de fotos, entrevistas exclusivas com familiares, artistas contemporâneos e pesquisadores dos principais personagens que lançaram tendência no Movimento Modernista. O projeto também disponibiliza conteúdo nas redes sociais (Instagram, Twitter, Facebook, TikTok e Youtube) com diversas novidades envolvendo o centenário. Toda a gestão e produção da Agenda Tarsila é realizada pela Organização Social Amigos da Arte.


Post a Comment

Sejam bem-vindos à Cellebriway.
A sua Revista Eletrônica

Postagem Anterior Próxima Postagem