Para além da depressão

                                      


SAÚDE TOTAL

Conversas psicanalíticas com o Dr. Eduardo Baunilha

Para além da depressão

Foi preconizado há muitos anos que a Era em que estamos vivendo seria a da depressão. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, em 2010, o principal problema de saúde mundial seria a depressão. O prognóstico é de que metade da população do mundo sofreria deste mal. Talvez seja tal visão que é a responsável por fazer com que sejamos bastante passivos com relação a este sintoma.

Por que estou trazendo esta provocação? Porque qualquer reação diferente, tristeza repentina, decepção ou frustração com qualquer que seja a pessoa ou situação, já nos alocamos dentro deste espectro.

A questão não é negar o que temos, mas pensarmos se realmente sentimos o que nos é o tempo todo impulsionados a pensar que estamos sentindo, pois se nos enganarmos, poderemos perder a oportunidade de crescer enquanto pessoas. Buscar dentro de nós mesmos saídas para lidarmos com o que nos angustia é um ato de amadurecimento.

Termos um diagnóstico, na maioria da vezes, nos tranquiliza a buscarmos nas drágeas a solução para o mal que nos acomete e, isso pode ser apenas uma reação limitante.

Por que não posso sentir? Por que por meio deste sentir, não posso me armar de possibilidades para buscar minimizar minhas angústias, entendendo que este caminho é o melhor, mais saudável, construtivo e recompensador?

É claro que muitas vezes o sistema interno está tão hiperativado que não temos outra saída que não a de procurarmos apoio profissional. É evidente que esta ajuda não necessita ser buscada apenas em momentos probantes. Entender que a ajuda possa vir antes do caos, não deixa de ser uma atitude sensata e inteligente.

Mas mesmo assim, não podemos perder de vista que nossa participação precisa ser imperiosa. Até o consultar é um passo importante que nós mesmos podemos dar, entendendo que um analista apenas nos provocará a termos um encontro com nosso interior e, portanto, buscarmos alívio pela via do autoconhecimento.

Digo isso, pois tenho uma certa preocupação com os diagnósticos repentinos e, ainda mais com as prescrições medicamentosas muito rápidas, pois segundo os escritos de Kelly Brogan, os remédios controlados são a terceira causa de morte, perdendo apenas para os problemas cardíacos e o câncer.

Darian Leader, psicanalista inglês, deixou escrito: “se os remédios afetam os padrões de humor, apetite e sono, então, a depressão consistia em um problema dos padrões de humor, apetite e sono. Em outras palavras, a depressão foi tanto criada quanto descoberta (LEADER, 2011, p. 22)”.

As palavras de Darian são muito provocativas e devem nos fazer pensar e agir. Pensar em quem procuraremos para nos ajudar quando não estivermos bem, e agir, buscando meios de tomar atitudes que minimizem o que estamos sentindo, primeiro ponderando sobre a situação, avaliando a gravidade do contexto e depois partindo para colocar em prática atitudes que possam nos ajudar.

Um abraço fortíssimo em você!

 

 

REFERÊNCIA:

LEADER, Darian. Além da depressão. Trad. Fátima Santos. Rio de Janeiro: BestSeller, 2011.

Post a Comment

Sejam bem-vindos à Cellebriway.
A sua Revista Eletrônica

Postagem Anterior Próxima Postagem