Laura Pigossi é vice-campeã no WTA de Bogotá

   Laura Pigossi é vice-campeã no WTA de Bogotá


Medalhista Olímpica fez sua melhor campanha da carreira em simples e terá enorme salto no ranking

Foto: Laura Pigossi durante a final do WTA de Bogotá / Crédito:  Copa Colsanitas 
Laura Pigossi, medalhista de Bronze nos Jogos Olímpicos de Tóquio, foi vice-campeã, neste domingo, no WTA 250 de Bogotá, na Colômbia, evento sobre o saibro com premiação de US$ 239 mil e do mais alto nível do circuito mundial.

A tenista que treina na AD In Academy, em Barcelona, na Espanha, foi superada pela alemã Tatjana Maria, atual 237ª colocada e ex-top 50, por 2 sets a 1 com parciais de 6/3 4/6 6/2 após 2h30min de duração na lotada quadra central.


A brasileira foi apenas a sétima na história a jogar uma final nível WTA em simples se juntando a nomes como Teliana Pereira (dois títulos), Niege Dias (dois títulos), Maria Esther Bueno (um título) , Patrícia Medrado (dois vices), Cláudia Monteiro (um vice) e Bia Maia (um vice).

Pela maior campanha na carreira ela vai dar um salto de 86 posições e será a 126ª no ranking desta segunda-feira. Laura, que havia passado o qualifying, conseguiu suas maiores vitórias na semana derrotando na semi a colombiana Maria Osorio, favorita e 33ª colocada, na primeira rodada a quinta favorita, a francesa Harmony Tan, 90ª, e ainda batendo a 102ª, a ucraniana Dayana Yastremska. 

"Hoje infelizmente não deu, mas gostei bastante da minha atitude, como lutei até o fim. Hoje faltou um pouco de físico, a maneira como ela jogava me exigia um pouco mais das pernas, estar um pouco atenta e reagindo. Mesmo assim muito feliz com minha semana, melhor ranking da carreira, abrindo várias portas, mudando meu calendário. Acho que estou no caminho certo é seguir assim e acreditando e continuar trabalhando pois não há segredo",  disse Laura,  atleta patrocinada pela ASICS, Banco BRB, Babolat e pela Confederação Brasileira de Tênis.


Foto: Laura Pigossi durante a final do WTA de Bogotá / Crédito:  Copa Colsanitas 


Desfrutei muito desse torneio, me senti em casa, agradeço todo mundo que veio me ver em todos os jogos. Esse torneio ficará na minha memória, agradecer meu treinador Martin Garcia por me acompanhar nessa gira. muito feliz de alcançar minha primeira final de WTA, espero que não seja a última. Estou muito contente em jogar um torneio tão grande na américa do Sul, para nós sul-americanas é muito importante", disse Laura,  atleta patrocinada pela ASICS, Banco BRB, Babolat e pela Confederação Brasileira de Tênis.

A tenista segue para Salinas, no Equador, onde disputa, a partir de quarta-feira, a Billie Jean King Cup pelo Brasil no time com Bia Maia, Carol Meligeni, Gabriela Cé e Rebeca Pereira. O Brasil tenta jornada por vaga para as finais para 2023.

Post a Comment

Sejam bem-vindos à Cellebriway.
A sua Revista Eletrônica

Postagem Anterior Próxima Postagem