Banda carioca Samba Esquema Russo desafia expectativas e faz indie rock brasileiro com single irônico “Cazuza Já Morreu”

  Banda carioca Samba Esquema Russo desafia expectativas e faz indie rock brasileiro com single irônico “Cazuza Já Morreu”


Faixa ganha clipe e apresenta sonoridade do grupo

Samba Esquema Russo - Crédito Thiago Lessa


A estreia da banda carioca Samba Esquema Russo é uma declaração de ironia, não-conformidade e muita personalidade. O single “Cazuza Já Morreu” é um convite a colorir fora das linhas, ultrapassar limites e subverter expectativas. Entre as guitarras distorcidas, surge a urgência de um desabafo quase gritado. A faixa ganha um clipe, já disponível no canal do grupo.


Assista ao clipe: https://youtu.be/Fjb4Fct8Xng 

Ouça “Cazuza Já Morreu”: https://tratore.ffm.to/cazuzajamorreu 


Samba Esquema Russo não se constrói por rótulos, gêneros ou tags. “‘Cazuza já morreu’ é um rockzin que não é uma crítica social foda, não é uma homenagem póstuma, não é continuação, não é ruptura, não é tradição e muito menos vanguarda”, declar a banda.


O clipe é uma leitura visual dessa declaração de existência do Samba Esquema Russo, uma estreia barulhenta que une as raízes dos integrantes Maria Steinbruck (voz), Vinícius Gusmão (guitarra) e Gabriel Gorini (guitarra), entre o Rio de Janeiro solar e as paisagens idílicas da chuvosa Serra dos Órgãos. 


“Às fontes que bebemos, a reverência. Entre o turbilhão de imagens, pessoas, acontecimentos brutais e momentos sublimes, habita a vista enevoada e ao mesmo tempo certa do que vê. Esteja atento: sob neblina use luz baixa”, alertam.


Embora separados por uma curta distância no espaço, Rio e serra se afastam pela inconformidade no tempo, nas cores, tons, ritmos e sons. O “esquema russo” da banda é uma união ou mistura dessas realidades. “Não só pela ambição, mas pela necessidade primeira de sermos o que sempre fomos”, completa o músico.


Samba Esquema Russo busca sentido nas palavras e nos sons tendo como ponto de partida a travessia. Na Serra dos Órgãos, o marcante trecho entre a pedra do Açu e a do Sino é um dos mais procurados pela beleza natural. Porém, o deslocamento entre esses dois castelos requer preparo, familiaridade com o terreno, sede de exploração. Foi pensando nesse ínterim, entre um ponto e outro, que o grupo se encontrou: uma constante caminhada até o destino, sem ter medo da jornada.


“Na sua travessia pelo ar, o som nos dá a experiência de uma relação profunda entre o singular e o plural. Atravessar pode ter o sentido de resistir, mas também de ser afetado. Samba Esquema Russo nasceu no atravessamento dessas diversas trilhas, escutando as reverberações da palavra que nasce. Primeiro veio o novo, depois o noise e agora o russo”, concluem.


“Cazuza Já Morreu” já está disponível nas principais plataformas de música.





Ficha técnica

Maria Steinbruck - Voz

Gabriel Gorini – Guitarra

Vinicius Gusmão - Guitarra

Baixo - Gustavo Muniz

Bateria - Tutuka

Produção musical: Fafá Oliveira, Gabriel Gorini e Vinicius Gusmão

Produção Executiva: Gabriel Gorini e Vinicius Gusmão

Arte gráfica: Murilo DoMeio

Estúdio


Clipe


Montagem: Gabriel Gorini e Vinícius Gusmão

Filmagem e finalização: Thiago Lessa

Imagens adicionais: Vitor Faria

Arte gráfica - Murilo DoMeio


Letra

Gabriel Gorini 


São dois olhinhos que brincam no mar

Duas esferas que brilham 

São dois olhinhos que brincam no mar

O gosto o cheiro forte do bolor 


Alta tecnologia 

E o preço do ventilador

Me tiram o sono

Me deixam doente

O gosto o cheiro forte do bolor


Ah! Como dói, quando o horizonte desaba

Como dói, todo esse céu azul 

A bola de futebol 

À prova dágua

À prova dágua


São dois olhinhos que brincam no mar

Duas esferas que brilham 

São dois olhinhos que brincam no mar


Acompanhe Samba Esquema Russo:

https://instagram.com/sambaesquemarusso 

Post a Comment

Sejam bem-vindos à Cellebriway.
A sua Revista Eletrônica

Postagem Anterior Próxima Postagem