Médico é reconhecido como um dos 50 melhores do país pelo Ministério da Saúde por elevar a qualidade do SAMU de Franca

   Médico é reconhecido como um dos 50 melhores do país pelo Ministério da Saúde por elevar a qualidade do SAMU de Franca

Dr. Rogério Welbert Ribeiro - Foto Acervo Pessoal


Imagine você ser considerado, reconhecido e escolhido como um dos profissionais de maior destaque para fazer parte de um trabalho que mudaria a qualidade dos serviços prestados na área da saúde do Brasil.

Foi exatamente isso que aconteceu com o médico Dr. Rogério Welbert Ribeiro, que em 2014, foi um dos profissionais convidados pelo Ministério da Saúde a compor o Grupo Técnico de Formação de Protocolos Nacional para o SAMU.

“Quando eu assumi a coordenação médica do SAMU de Franca, ele era um entre os 200 SAMU’s do Brasil e através de mecanismos de cursos de capacitação para médicos; ATLS, ACLS, Curso de regulação médica, consegui melhorar o SAMU de Franca, fazendo com que ele cumprisse as expectativas e as metas do Ministério da Saúde. O resultado disso foi que passamos a ser considerados um dos 15 melhores SAMUs do Brasil. E aí com base nisso, o Ministério da Saúde fez o convite para participarmos do Grupo Nacional de Protocolos do SAMU”, explica Dr. Rogério.

Esse Grupo Técnico de Formação de Protocolos Nacional para o SAMU foi formado por profissionais de vários estados do Brasil - médicos e enfermeiros – e do estado de São Paulo tinham representantes apenas da capital paulista e de Franca. Isso se deu com base no que o Ministério da Saúde via de pontuação daquele serviço. Ou seja, graças ao trabalho realizado pelo médico Dr. Rogério Welbert Ribeiro desde que ele assumiu a coordenação do SAMU de Franca, esse serviço ganhou outro patamar em termos de qualidade.

Dr. Rogério Welbert Ribeiro ao lado de sua equipe do SAMU de Franca - Foto Acervo Pessoal


“Quando eu assumi o SAMU de Franca, ele tinha uma equipe técnica de socorristas, médicos e enfermeiros muito comprometida, mas havia um grupo de profissionais da regulação médica e intervenção que não tinha tanto compromisso com a qualidade técnica, com os serviços e com a cidade. Então quando assumi a coordenação passei a pontuar essas faltas e a cobrar mais atuação e qualidade, foi quando comecei a solicitar que fizessem mais cursos de regulação médica, as especializações em atendimento a traumas; a clínica também, ATLS E ACLS e muitos deles saíram”, conta Rogério.

O ex-coordenador médico do SAMU de Franca aproveitou esse movimento e convidou profissionais de excelência – residentes de Cirurgia Clínica, Ortopedia e Clínica Médica - da Santa Casa de Franca, onde ele trabalhava na época, para fazerem parte do grupo do SAMU. “Eles foram substituir aqueles que não gostaram das exigências propostas, o que contribuiu para que o SAMU de Franca saísse de um dos ‘quaisqueres’ do Brasil para um dos melhores do país e até hoje a maior parte dos médicos que atua no SAMU de Franca são residentes da Santa Casa de Franca, todos excelentes e de muito compromisso”, orgulha-se.

Com a melhor qualidade dos profissionais envolvidos nos atendimentos, o SAMU de Franca passou a apresentar resultados também melhores, o que começou a despertar a atenção do Ministério da Saúde.

Dr. Rogério, a ex-secretária de Saúde de Franca, Rosane Moscardini e a ex-coordenadora geral do SAMU de Franca, Giani Stefani


Mas o que significa participar do Grupo Técnico de Formação de Protocolos Nacional para o SAMU?

O Protocolo Nacional do SAMU é um delineador para que os profissionais de saúde sigam as instruções técnicas daquele protocolo e a condução dos trabalhos para que se chegasse a uma definição assertiva contou com profissionais que trabalharam intensamente, reunidos em grupos temáticos entre abril e setembro de 2014, em cinco oficinas presenciais apoiadas por técnicos das áreas temáticas de interesse do Ministério da Saúde, técnicos das linhas de cuidado e sob coordenação dos técnicos da Coordenação Geral da Força Nacional do SUS.

Esse compartilhamento permitiu uma construção de consenso, sólida, representativa e com alto potencial de reprodução e aceitação das recomendações pelos diferentes serviços do país.

“O Protocolo Nacional do SAMU é um delineador para que os profissionais de saúde sigam as instruções técnicas daquele protocolo; e para a definição do protocolo foi levada em conta a realidade de cada cidade, ou seja, o que cada profissional vivia em cada cidade, inclusive o que se tinha disponível de material e medicamentos”, esclarece Dr. Rogério Welbert Ribeiro.

Para o médico e ex-coordenador do SAMU de Franca, fazer parte do Grupo Técnico de Formação de Protocolos Nacional para o SAMU foi uma experiência muito boa, porque ele conheceu profissionais que dão a sua vida pela urgência e emergência, pessoas que dedicam toda a sua sabedoria e seu tempo de vida para construir serviços de qualidade. “Conheci pessoas fantásticas da coordenação desse grupo técnico, e da Força Nacional do SUS. E mesmo que eu tenha deixado a coordenação do SAMU de Franca, consegui deixar esse legado: o aumento da verba repassada pelo Ministério da Saúde para o município, que era menos de R$ 100 mil e através das qualificações conseguimos subir para mais de R$ 300 mil; e montar uma equipe médica de excelência reconhecida em nível nacional”, reforça orgulhoso de sua trajetória.

Para conhecer o Protocolo Nacional do SAMU, acesse:

https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/protocolo_suporte_avancado_vida.pdf      https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/protocolo_suporte_basico_vida.pdf.

Post a Comment

Sejam bem-vindos à Cellebriway.
A sua Revista Eletrônica

Postagem Anterior Próxima Postagem