SAÚDE MENTAL


Conversas psicanalíticas com o Dr. Eduardo Baunilha


Foto de arquivo pessoal



Sexo é saúde

Na área sexual, a disposição para o sexo, na mulher e no homem, são bem diferentes.

Se a mulher corre o risco de ficar desempregada, se tem um filho adoentado, se tiver passado muito estresse no trânsito ou o aluguel da casa aumentou, certamente que o sexo nem vá passar por sua cabeça.

Todavia, se tudo isso acontecer com o homem, é muito comum que ele veja o sexo como um dispositivo para aliviar toda a tensão acumulada das situações limites.

E essa diferença pode se tornar um problemão se não for bem entendida. Então começam as desavenças: a mulher chama o homem de tarado, insensível e o homem chama a mulher de fria.

O que acontece é que a mulher avalia a qualidade do seu relacionamento de acordo com fatos de médio e longo prazos: se o marido a tem ajudado em casa, se tem sido atencioso nos últimos meses, se está dando atenção às crianças; enquanto o homem avalia a relação de acordo com o que acontece no mesmo dia: como foi o café da manhã, se ele teve atenção com relação ao almoço e se a esposa foi carinhosa o suficiente. Diante desses fatos, a questão é negociar por meio do diálogo. Dialogar é o melhor caminho para buscar um possível ajuste. Porque fazer sexo, além de ser muito prazeroso tem muitos benefícios. Por exemplo: quem faz sexo três vezes na semana, queima, em um ano, a mesma quantidade de calorias que consome em 130 quilômetros de corrida. Segundo Alan e Barbara Peace, sexo aumenta o nível de testosterona, que fortifica ossos e músculos e produz o colesterol benéfico.

O pesquisador Dr. Beverly Whiplle afirma: “As endorfinas, analgésico natural produzido pelo corpo, são liberadas durante a atividade sexual e aliviam dores de cabeça, torcicolo e artrite”.

Também, pouco antes do orgasmo é liberado um hormônio que melhora a inteligência e o sistema imunológico, fortifica os ossos e inibe o crescimento de tumores.

O Dr. Harold Bloomfield demonstrou que o estrogênio está associado à qualidade dos ossos e ao bom funcionamento do sistema cardiovascular. Isso quer dizer que todos esses hormônios fazem bem ao coração e aumentam a expectativa de vida. Ou seja, mais sexo, mais vida.

Porém jamais devemos esquecer de uma verdade básica: a relação precisa estar permeada pelo amor, respeito e cumplicidade. Aí sim, a relação sexual terá um significado especial e fará a diferença em nossa saúde física e mental.

Até a próxima. Um grande abraço.

 

 

Referências:

PEASE, Alan e Barbara. Por que os homens fazem sexo e as mulheres fazem amor? Trad. Neuza Simões Capelo. Rio de Janeiro: Sextante, 2010.


2 Comentários

Sejam bem-vindos à Cellebriway.
A sua Revista Eletrônica

Postar um comentário

Sejam bem-vindos à Cellebriway.
A sua Revista Eletrônica

Postagem Anterior Próxima Postagem