EM SOCIEDADE


Por Joacles Costa


NA RODA DE CONVERSA:  A VOZ DA  JUVENTUDE  

Foto / arquivo pessoal

A roda de conversa é um espaço comunitário no qual qualquer pessoa pode expressar suas emoções, inseguranças, dúvidas, angústias e sofrimentos. E também os aprendizados.   Ao expressar os sentimentos e pensamentos que mais a afetam e ser ouvida sem julgamentos, a pessoa se abre também para ouvir o que os demais presentes na roda têm a dizer.  

Atividade como esta é de suma importância, pois faz uso da escuta ativa, da empatia e solidariedade para construir redes sociais de promoção de vida - e prevenção de questões de saúde mental, sendo capaz de estimular o aprender com o outro e a partir do outro.   

Foto / arquivo pessoal

O desenvolvimento da oralidade é realizada pelo próprio diálogo e quanto mais conversamos, mais desenvolvemos a criatividade, socialização e restauração de informações recebidas desde o DNA.

Assim, foram registrados os momentos da conversa coletiva da juventude cristã.  Um Grande momento de muita aprendizagem, concentração, perguntas e respostas bíblicas bem elaboradas, discutidas e estudadas, dentro de uma dinâmica em que todos puderam falar, ouvir e se manifestar concordando ou discordando das problemáticas.  

De extrema pertinência, a temática circunscreveu aos ensinamentos cristãos a respeito da importância do trabalho dos jovens no próprio desenvolvimento espiritual, e de que forma eles podem e refletir e reagir em relação as questões como ansiedade e depressão.

Foto / arquivo pessoal

O psicanalista e professor Doutor Eduardo Baunilha dissertou, usando como exemplo histórias verídicas como a de Jhon Halender , de vinte e quatro anos, um rapaz que possuía uma necessidade especial neurológica que atingiu todo o sistema nervoso, dificultando a mobilidade na pista e a disputar a um lugar no pódio.  Com muita persistência, o sueco concluiu a prova em último lugar, entretanto, não se deixou abater pelo resultado.   Outra narrativa citada, foi a de uma jovem que sentia um apreço muito grande pelo pai. Todavia, ela ficou envergonhada por um descuido, mas em pouco tempo reconheceu o fato e, formalmente, pediu perdão ao pai pelo erro.    

As situações anteriores, foram discutidas e ponderadas.  Por meio destes exemplos, aprendemos como o jovem cristão deve se comportar, agindo com perdão e amor ao próximo, sem julgamentos.

Post a Comment

Sejam bem-vindos à Cellebriway.
A sua Revista Eletrônica

Postagem Anterior Próxima Postagem